quarta-feira, 6 de maio de 2015

Portuguesmente falando (06/05/2015)



Olá, como estão?


Quem me conhece, sabe que não suporto erros de português, nomeadamente de ortografia.
Eu também os dou e faço já daqui mea culpa (às vezes é cada pontapé na gramática), mas que diacho!, às vezes dou com erros – e não são tão poucas como isso – que não lembram a ninguém…
… “esqueção” em vez de “esqueçam”…
… “rejistar” em vez de “registar”…
… “descanço” em vez de “descanso”…
E muitos mais que tais.

Lembro-me duma situação que aconteceu há anos: recebi um recado escrito duma pessoa. Até aí, tudo bem.
Só que eu não percebia nada – estava cheio de erros de ortografia.
Podem não acreditar, mas foi só quando comecei a ler em voz alta, é que eu comecei a perceber – pelo som, pela sonoridade das palavras.

Eu sei que a língua portuguesa é muito traiçoeira, mas bolas!, vamos lá a não exagerar…

E ainda não falei do meu ódio de estimação: a (nem lhe chamo palavra…) expressão “prontos”.
Até fico com urticária quando ouço essa… coisa.
Sério.
Um dia, juro, ainda dou um valente par de sopapos a quem se atrever a articular essa… coisa à minha frente.
Ficam já avisados.
E quem vos avisa…


Fico por aqui.
Até uma próxima oportunidade.


Sem comentários:

Enviar um comentário